16 outubro 2018

Noticia do abastecimento de água de Currais Novos, para essa terça feira dia 16 de outubro de 2018




Inauguração da reforma do Hospital Aluízio Bezerra


Prefeitura de Santa Cruz, com saúde, em primeiro lugar, veja as Imagens da inauguração da reforma do Hospital Regional Aluízio Bezerra


TRE pede reforço de tropas federais para 72 municípios do RN no 2º turno das eleições

Solicitação será enviada ao TSE, que enviou reforço para 95 cidades no 1º turno deste ano. Polícias estaduais e guarda municipal também serão usadas na segurança do pleito.


O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE/RN) vai pedir reforço de tropas federais para a segurança em 72 municípios potiguares no segundo turno das eleições, marcado para o domingo 28 de outubro. São 25 cidades a menos em relação ao primeiro turno do pleito que aconteceu dia 7.
Conforme o TRE, a redução de 97 cidades para 72 deve ocorrer "por se tratar de um turno mais simples e tranquilo" atende à demanda dos juízes eleitorais. "O pedido segue para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que seja autorizado o envio do exército. No mais, as forças estadual e municipal (guarda municipal) serão mantidas", informou.
Em reunião nesta segunda-feira (15), quando informou o reforço do pedido de segurança, o presidente do TRE, desembargador Glauber Rêgo, destacou que o RN foi o primeiro estado do Nordeste a realizar a totalização de votos e o 12º no Brasil.
“Temos a missão de assegurar a segurança e organização da liberdade no exercício do direito do voto. Não apenas isso, temos a atribuição de garantir que o processo eleitoral obedeça às exigências de ordem normativa e siga base moral e ética compatível com os valores da probidade e da lisura”, afirmou.
Na ocasião, foram apresentados dados sobre o primeiro turno das eleições. Na região Oeste, por exemplo, uma falta de energia atingiu 114 seções, que correspondem a um terço das seções pertencentes à 34ª zona eleitoral. O fato gerou atraso no começo da votação.
Fonte: G1 do RN


Concerto infantil encerra ações da Semana do Bebê 2018 em Santa Cruz



A programação da sexta edição da Semana do Bebê foi encerrada na última quinta-feira (11) com um concerto infantil promovido pela Filarmônica Mestre João Roberto Paz e União, na Praça Coronel Ezequiel Mergelino de Souza. Uma apresentação especial, com um repertório preparado exclusivamente para o público infantil.
Promovida pela Prefeitura de Santa Cruz, a Semana do Bebê 2018 contou com inúmeras atividades voltadas para crianças na primeira infância, pais e responsáveis. Na programação, iniciada na última segunda-feira (08), palestras, seminários e atividades recreativas.
A Semana do Bebê tem o objetivo de conscientizar a sociedade da importância da atenção especial que a primeira infância merece, ou seja, que crianças de até seis anos de idade tenham um acompanhamento especial em vários aspectos para a garantia de um futuro melhor. Esta é também mais uma ação da gestão municipal na busca pela certificação do Selo Unicef -Município Aprovado.
Com o tema “Valorizando a Primeira Infância”, a Semana do Bebê em Santa Cruz envolveu profissionais das secretarias de Assistência Social, Saúde, Educação, Cultura, Esportes e Lazer, e se transformou, ao longo dos últimos anos, em um dos principais eventos da gestão municipal.


Segundo deputado mais votado, Gustavo Carvalho decide apoiar Carlos Eduardo Alves no segundo turno

O deputado Gustavo Carvalho (PSDB) decidiu: vai apoiar o candidato a governador Carlos Eduardo Alves (PDT) agora no segundo turno.
No primeiro Gustavo esteve com Robinson.
O deputado disse ao Blog que na quinta-feira, às 17 horas, reunirá seu grupo de aliados para anunciar oficialmente o apoio.
E tirar a foto básica com o candidato.
Gustavo foi o segundo deputado mais votado com 47.544 votos.



Em lançamento de Haddad no Ceará, Cid Gomes afirma que PT tem de ter humildade e reconhecer que “fizeram muita besteira”

Do site do Jornal O Povo
Em encontro do PT para lançamento da campanha pró-Haddad no Ceará, na noite desta segunda, 15, o senador eleito Cid Gomes (PDT), primeiro a falar, cobrou mea culpa do PT. O ex governador então foi vaiado por militantes que lotaram o auditório do Marina Park. Cid respondeu: “É por isso que vocês vão perder”.

Em seguida chamou os filiados com quem ele discutia de “babacas”. O governador Camilo Santana (PT) tentou colocar panos quentes depois da fala de Cid. O petista admitiu que o ex-governador tinha razão em partes de sua queixas, mas que não era hora de discutir o PT.
Logo após o encerramento do ato, que durou menos de 20 minutos, Cid foi vaiado novamente. Do lado de fora do auditório, foi encurralado por militantes do PT, que jogaram faixas do partido no pedetista. Aliados de Cid e do PT causaram tumulto.
O evento, no Marina Park Hotel, fazia parte das articulações de Camilo Santana, governador reeleito no Ceará, para impulsionar campanha de Fernando Haddad, candidato petista à presidência. Camilo deveria se encontrar com prefeitos, deputados, vereadores, movimentos sociais e lideranças para, além de campanha presidencial, agradecer a reeleição.
A movimentação acontece em tentativa de obter os votos que Ciro Gomes (PDT) recebeu no Estado no primeiro turno. Haddad disputa o eleitorado cearense com Jair Bolsonaro (PSL), seu adversário no segundo turno das eleições.
Logo no início do discurso, Cid já se mostrava indisposto com a situação. “Juro que não esperava que fosse eu que fosse abrir. Me colocaram numa situação constrangedora”, disse ele.
Em determinado momento, alguém gritou “vem para rua”, ao que foi respondido por Cid: “Para ir para a rua, a gente tem de estar motivado. Para ir para rua sem estar motivado não adianta nada. Às vezes até piora”.
“Nós temos duas alternativas. Uma é a gente fazer de conta… Futebol é isso mesmo. Tem dois turnos e no segundo turno a gente tem de escolher. Para mim, tudo bem. Se é essa a alternativa, eu estou disposto, como aquele beija-florzinho da fábula do incêndio, a botar uma gotinha de água no bico e levar para apagar o incêndio. Se é essa a alternativa, muito bem. Podem ter certeza. O meu partido já tomou uma deliberação. Ora, eu já votei no Eunício (Oliveira). Para votar no (Fernando) Haddad, eu voto com muito mais prazer”. Disse ele, sobre a escolha a ser feita no segundo turno. Nesse momento, ele foi aplaudido por alguns dos presentes.
“Agora, se a gente quer, daqui do Ceará, dar um exemplo para o Brasil, aí tem de haver outra coisa. Estão faltando treze dias. Deus construiu o mundo em seis. Tudo bem que Deus é Deus. Mas dobrando o tempo, seria possível a gente tentar daqui do ceará dar um exemplo para o Brasil como as coisas deveriam ser feitas”.
“E aí eu não sei. Porque também não cabe a mim, cobrar mea culpa de ninguém”.
“Eu conheço o Haddad, é uma boa pessoa. Mas aí fica para algum companheiro do PT que me suceda aqui na fala, que se quiser fazer um exemplo para o país, tem de fazer um mea culpa. Tem de pedir desculpas, tem de ter humildade e reconhecer que fizeram muita besteira”. As reações se dividiram; alguns aplaudiram, outros vaiaram e fizeram sinal de “não” com as mãos.
“Não admitir o mea culpa, os erros que cometeram, isso é para perder a eleição e é bem feito. Vocês deviam… o teu tipo, ue acha que fez tudo certo… Quem junto com ele acha que fez tudo certo…. Vão… Muito bem, muito bem. Pois vão, vão, vão e vão perder feio. Vão perder feio porque fizeram muita besteira. Porque aparelharam as repartições públicas. Porque acharam que eram donos de um país, e o Brasil não aceita ter dono”. As reações da platéia ainda se dividem.
“Quem criou o Bolsonaro foram essas figuras. Quem criou o Bolsonaro foram essas figuras que acham que são donas da verdade, que acham que podem fazer tudo, que acham que os fins justificam os meios. Muito bem, eu me calo, eu me calo numa boa. Não sei porque me pediram para falar antes. É para fazer faz de conta?”
Cid discutiu com alguns presentes, que cantavam músicas em apoio ao ex-presidente Lula. “Lula, o que? Lula tá preso, babaca”, respondeu ele aos gritos dos militantes. “Isso é o PT. E o PT desse jeito merece perder. Só para rimar. Se vocês estivessem… babaca, vai perder a eleição. É isso aí. É esse sentimento que vai perder a eleição”.
O senador eleito também afirmou que o país está numa encruzilhada, e que a culpa não era do PDT. “O Brasil está numa encruzilhada, e dela pode sair um mal terrível para o Brasil, terrivel. Que pode colocar em risco a liberdade das pessoas. A liberdade das pessoas de se expressar, de fazer sua opção de vida, qualquer que seja ela. Do outro lado, tem um candidato, que é sério, bem intencionado, ama o Brasil, carrega um fardo pesado nas suas costas. Mas não vou mais falar disso. Estou falando a vocês para que compreendam. Engulam, os que me tiverem atenção, engulam. Façam mais esse sacrifício. Nunca mereceram. Nunca deram nada em troca.
Ele também revelou que teria convidado Dilma Roussef para ser candidata ao Senado no Ceará, mas que teve o convite negado por Lula. “Agora, faltando seis meses, quatro meses para a eleição, eu convidei a Dilma para ser senadora, candidata aqui no estado do Ceará. Eu convidei. E o Lula impediu que ela viesse, porque queria que o Eunício (Oliveira) fosse eleito aqui no Ceará. O Lula. O Lula. Muito bem, amigos e amigas que me têm atenção. Vamos relevar mais uma vez. Mais uma vez, vamos relevar”.


Nós sempre fomos democratas. Nós nunca queremos ser hegemônicos. Nós sempre compartilhamos o poder. Quer prova maior: eu votei no PT em Sobral, e o PT teve um prefeito de Sobral com todos os méritos, que é José Clodoveu de Arruda Coelho Neto, porque o PDT votou no ‘Veveu’. Eu votei e o Camilo só foi governador – com todos os méritos que ele tem – porque também não teria escolhido se ele não tivesse talentos, não tivesse competência, não fosse amigo verdadeiro do povo, porque o PDT compreendendo momentos políticos e sem ser partido hegemônico, apoiou a candidatura do Camilo”.


15 outubro 2018

Carlson Gomes fez homenagem a Currais Novos e seu povo, seu Facebook.


Carlson Gomes publicou em seu Facebook, uma homenagem a Currais Novos e seu povo, veja a publicação....Ó Currais Novos bonita, Princesa do Seridó, Ante a Serra de Sant'Ana e o Pico do Totoró, ó cidade sedução por tanta gente querida eu sinto, com a tua vida, orgulho do meu sertão. #CurraisNovos128 anos de Emancipação Política. Parabéns, minha linda e amada cidade!


Bolsonaro tem 59% das intenções de voto; Haddad, 41%, diz pesquisa BTG/FSB

Da Revista Exame
São Paulo – Pesquisa BTG/FSB de intenção de votos para o segundo turno das eleições presidenciais de 2018 mostra o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, na liderança, com 59%. Fernando Haddad, do PT, tem 41%. Os números correspondem ao cenário estimulado, no qual o nome dos candidatos é citado na hora do questionário.
Os votos válidos são calculados com base na soma de intenção de votos recebidas por todos os candidatos juntos, descontando-se os percentuais de “Branco”, “Nulo”, “Ninguém/Nenhum”, “Não Sabe” e “Não Respondeu”.
Metodologia
As entrevistas feitas pelo Instituto FSB Pesquisa foram feitas por telefone, nos dias 13 e 14 de outubro de 2018, com 2.000 eleitores a partir de 16 anos, nas 27 Unidades da Federação (UFs). A margem de erro é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%



Noticia do abastecimento de água de Currais Novos, para essa segunda feira dia 15 de Outubro de 2018




Igrejas do Brasil, são vitimas de assaltos.


Na reportagem agora no Bom Dia Brasil da Rede Globo de Televisão, assaltos nas igrejas de vários estados do nosso Brasil.
Falta de respeito até ás igrejas não são mais respeitada, é urgente punições mais amplas, para diminuição de tantas violências em nosso Brasil.


Em Natal, carreata em apoio a Carlos Eduardo e Bolsonaro termina com comício na Av. Salgado Filho

De São Gonçalo do Amarante a Natal, centenas de carros e milhares de eleitores percorreram os 17 quilômetros que separam os dois municípios em novo ato público de apoiadores do presidenciável Jair Bolsonaro(PSL) ao candidato a governador do Rio Grande do Norte, ex-prefeito da capital Carlos Eduardo(PDT).

Promovida pelos bolsonaristas, a carreata reforçou a dobradinha entre os candidatos a Presidente da República e a governador. “PT nunca mais!, pelo Brasil e pelo Rio Grande do Norte”, foi a expressão mais ouvida.
Lideranças que apoiam Bolsonaro e Carlos Eduardo demonstraram vibração e certeza na vitória de ambos no segundo turno.
O prefeito de Natal, Álvaro Dias (MDB), também acompanhou a mobilização enfatizando o apoio a Carlos Eduardo.




Após Haddad apagar informação falsa, Bolsonaro ataca o petista em rede social

Do Estadão
O candidato do PSL à presidência da República, Jair Bolsonaro, publicou neste domingo, 14, no Twitter, uma mensagem na qual ataca o seu adversário no segundo turno da eleição presidencial, Fernando Haddad (PT), em razão de uma informação falsa que foi publicada pelo petista em seu perfil e depois apagada.
“Após mentir descaradamente que votei contra os deficientes, o marmita de corrupto preso também apagou as acusações como se nada tivesse acontecido. A mentira nunca vencerá a verdade!”, escreveu Bolsonaro.
O tuíte de Haddad criticava Bolsonaro por supostamente ter votado contra o Estatuto da Pessoa com Deficiência. A publicação, depois, foi apagada. Procurada, a equipe do petista disse que, na verdade, Bolsonaro se absteve da votação, e que por isso a postagem foi excluída.
“O deputado Jair Bolsonaro votou contra o Estatuto da Pessoa com Deficiência. Acredito que ele tenha votado contra por falta de conhecimento. Ele não foi educado para compreender toda a diversidade humana e sua complexidade”, era o que dizia a postagem, antes de ser apagada.



14 outubro 2018

Desejamos paz entre, direita e esquerda

Foto: João Aquino Batista

Muitos estão com os ânimos um pouco exaltados, falo de Bolsonarianos ou Petistas,  mas temos que ter paciência e serenidade. Daqui, a pouco tudo passa e a vida voltara ao normal, seja quem quer que ganhe. Desejamos paz para nosso Brasil.

Como diz a sabedoria popular: “Caldo de galinha e cautela, não fazem mal a ninguém”, portanto, baixemos as armas, pensemos no Brasil acima das diferenças políticas, abramos os braços e nos reencontremos, em paz, como Nação.

ONU se diz ‘profundamente preocupada’ com violência na eleição brasileira

A Organização das Nações Unidas (ONU) diz estar “profundamente preocupada” com o clima de violência nas eleições brasileiras e pede que líderes políticos nacionais condenem explicitamente tais atos. Numa declaração emitida nesta sexta-feira, em Genebra, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos deixou claro que a situação brasileira tem sido considerada como “delicada” por parte do organismo internacional e pede investigações imparciais sobre os crimes registrados.

O acirramento da política em meio à disputa eleitoral tem desembocado em episódios de violência física, facada contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) e até um assassinato. Nos últimos dias, foram registrados no país diversos casos de agressão por motivação política.

Na capital baiana, depois de se envolver em uma discussão na qual defendia o candidato petista, o mestre de capoeira Romualdo Rosário da Costa, o Moa do Katendê, foi assassinado a facadas dentro de um bar. Bolsonaro foi questionado sobre o assassinato. “A pergunta deveria ser invertida. Quem levou a facada fui eu. Se um cara lá que tem uma camisa minha comete um excesso, o que tem a ver comigo? Eu lamento, e peço ao pessoal que não pratique isso, mas eu não tenho controle.”

Na quarta-feira, ele voltou ao assunto em seu Twitter, já com um outro tom. “Dispensamos voto e qualquer aproximação de quem pratica violência contra eleitores que não votam em mim. A este tipo de gente peço que vote nulo ou na oposição por coerência, e que as autoridades tomem as medidas cabíveis, assim como contra caluniadores que tentam nos prejudicar.” Mas, em uma segunda postagem, ele disse haver um “movimento orquestrado forjando agressões” para o prejudicar, “nos ligando ao nazismo, que, assim como o comunismo, repudiamos”.

Na ONU, o apelo é pelo respeito. “Condenamos qualquer ato de violência e pedimos investigações imparciais, efetivas e imediatas sobre tais atos”, declarou a porta-voz do escritório da ONU, Ravina Shamdasani. “O discurso violento e inflamatório dessas eleições, especialmente contra LGBTI, mulheres, afrodescendentes e aqueles com visões políticas diferentes, é profundamente preocupante, especialmente dado os relatos de violência contra tais pessoas”, disse Ravina. “Pedimos a líderes políticos e aqueles com influência a publicamente condenar qualquer ato de violência durante esse período eleitoral delicado, e a chamar a todos os lados para que se expressem de forma pacífica e com o total respeito pelo direito dos demais”, completou a porta-voz.

A declaração não cita nem o nome do candidato Jair Bolsonaro e nem o de Fernando Haddad. Há cerca de um mês, a ONU condenou a facada contra Bolsonaro e, já naquele momento, afirmou estar preocupada com a tensão vivida no país. Nas últimas semanas, o Brasil está sendo alvo de um acompanhamento específico por parte das agências da ONU no que se refere às eleições presidenciais. A entidade decidiu fazer um monitoramento minucioso do que está ocorrendo no País, temendo que a principal democracia da América Latina possa ser afetada por um clima de tensão política inédita desde os anos 80.

Escritórios da ONU que lidam com política regional ou direitos humanos têm feito o acompanhamento, com detalhes sobre a situação atual e cenários. A informação tem servido de base para permitir que a cúpula da organização em Nova Iorque e em Genebra esteja atualizada sobre os acontecimentos e possa, eventualmente, reagir com declarações públicas. O monitoramento não significa qualquer tipo de envio de missão internacional ou dúvidas sobre o processo eleitoral por parte da entidade.

Fontes de alto escalão da ONU indicaram à reportagem que dois temas principais são monitorados: incidentes de violência e tensão durante o processo eleitoral e o impacto que o resultado poderia ter em termos geopolíticos no hemisfério ocidental já chacoalhado depois da chegada de Donald Trump ao governo dos EUA.

Antes de deixar o cargo, no final de agosto, o então Alto Comissariado de Direitos Humanos da ONU, Zeid al Hussein, qualificou o discurso do candidato de “um perigo” para certas parcelas da população no curto prazo e para o “país todo” no longo prazo. Zeid foi substituído logo depois pela chilena Michelle Bachelet.

Veja

Igreja Universal diz que vai processar Fernando Haddad, do PT

A Igreja Universal do Reino de Deus anunciou que vai processar por calúnia o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad. Em nota à imprensa, a igreja classifica as declarações como levianas, preconceituosas e criminosas.

Em entrevista coletiva hoje pela manhã, em meio às comemorações de um feriado católico, Haddad acusou o bispo Edir Macedo, fundador e líder da Igreja Universal, de ser “charlatão” e estar associado a Bolsonaro por uma aliança de “fome de dinheiro”.

“Sabe o que é o Bolsonaro? Ele é o casamento do neoliberalismo desalmado, representado pelo Paulo Guedes, um neoliberalismo desalmado que corta direitos trabalhistas e sociais, com o fundamentalismo charlatão do Edir Macedo”, disse Haddad. “Sabe o que está por trás dessa aliança? Em latim chama ‘auri sacra fames’: fome de dinheiro. Só pensam em dinheiro.”

A Igreja Universal chama o ataque de leviano e diz que ele só ocorreu porque o bispo Edir Macedo declarou voto em outro candidato. “Quando o Bispo Edir Macedo apoiou o Partido dos Trabalhadores (PT) e o ex-presidente Lula, o apoio era muito bem-vindo. Agora, quando o líder espiritual da Universal declara que seu candidato é Jair Bolsonaro, o Bispo Macedo deve ser ofendido de forma leviana?”

Em meio à campanha da eleição anterior à Presidência, Fernando Haddad esteve ao lado do bispo Edir Macedo na inauguração do Templo de Salomão, junto com a então presidente, Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT.

Veja a nota completa:

A Igreja Universal do Reino de Deus repudia as declarações caluniosas e preconceituosas do candidato Fernando Haddad, proferidas nesta sexta-feira (12).

Com sua fala criminosa, o ex-prefeito de São Paulo desrespeita não apenas os mais de 7 milhões de adeptos da Universal apenas no Brasil, mas todos os brasileiros católicos e evangélicos que não querem a volta ao poder de um partido político que tem como projeto a destruição dos valores cristãos, como a família, a honra e a decência.

Quando o Bispo Edir Macedo apoiou o Partido dos Trabalhadores (PT) e o ex-presidente Lula, o apoio era muito bem-vindo. Agora, quando o líder espiritual da Universal declara que seu candidato é Jair Bolsonaro, o Bispo Macedo deve ser ofendido de forma leviana?

Atacando uma das maiores lideranças evangélicas do País, Haddad tenta incitar uma guerra religiosa ao dar essa declaração em um local sagrado aos católicos, em pleno feriado católico.

Charlatão é o candidato que mente para o povo para ser eleito.

Fome de dinheiro tem o partido político que assalta estatais e os cofres públicos para sustentar uma estrutura que a Justiça definiu como “organização criminosa”.

Em 2017, os programas sociais da Universal atenderam 9 milhões de brasileiros invisíveis aos governos: moradores de rua, viciados em drogas, presidiários e seus familiares, mulheres vítimas de violência doméstica, idosos abandonados, policiais militares oprimidos, jovens da periferia das grandes cidades, empresários falidos. Toda essa assistência é prestada a custo zero aos cofres públicos.

O candidato responderá na Justiça pelo ódio religioso que tenta espalhar e por suas calúnias.

De resto, o povo saberá dar resposta a ele.

Fonte: R7